Perfil

Sou Maria Cristina. Fiz bacharelado e Licenciatura em Ciências Sociais, na PUC-SP, onde também fiz minha especialização em Projetos Pedagógicos com o Uso das Novas Tecnologias e o mestrado em Educação: Currículo (linha de pesquisa Novas Tecnologias e Educação). Professora da SEESP e professora universitária. O blog só tem como objetivo ampliar as discussões em sala de aula.

sexta-feira, 16 de setembro de 2011

Harry Potter e o Judaísmo

Rabino ensina paralelo entre o mundo de Harry Potter e judaísmo
fonte: http://potterish.com/2011/09/rabino-ensina-paralelo-entre-o-mundo-de-harry-potter-e-judaismo/

Harry Potter e religião juntos, em uma mesma conversa, geralmente é tido como polêmica. Esses debates derivam, em grande parte, das afirmações de que os romances de Harry Potter conteriam mensagens subliminares de caráter ocultistas e satanistas. Inclusive, nos EUA, uma escola baniu os livros da série de sua biblioteca depois que um reverendo declarou “que os temas de bruxaria e feitiçaria eram inadequados para uma escola católica”.
No entanto, o rabino Moshe Rosenberg, conseguiu encontrar um ponte entre religião e a história do menino-que-sobreviveu e assim como os milhares de fãs, derramou lágrimas quando a história chegou ao fim em 2007. O religioso conheceu série há mais de 10 anos quando viu um de seus alunos lendo Harry Potter e a Pedra Filosofal dentro da sala de aula.“Os livros da autora J. K. Rowling são preciosos”, disse Rosenberg, “porque eles lidam com todas as questões mais importantes da vida. O que dá razão à vida? Como os relacionamentos funcionam? Qual o efeito recíproco entre o bem e o mal e qual a nossa obrigação nessa luta? Todas essas coisas são preocupação da Bíblia também.” Ele compara a relação entre Harry, Hermione e Rony ao trio bíblico Moisés, Miriam e Aarão. Ambos os trios são marcados pela lealdade e heroísmo, assim como pela superação de pequeno ciúme. Uma de suas lições de casa foi uma redação explorando temas judeus nas histórias de Harry Potter.
Tanto em suas práticas escolares quanto em seu livro “Moral para Trouxas: Ética na Bíblia e o Mundo de Harry Potter”, Rosenberg traz as conexões entre o judaísmo e a série Potter. Ele também criou um Clube do Harry Potter, que incentivou seus alunos a escrever suas próprias seqüências para a série Potter entre os lançamentos dos livros de Rowling. Além disso, ele organizou os jogos de quadribol no ginásio e levou os alunos para ver os filmes da saga quando estreou nos cinemas. Sobre o fim da saga o rabino afirma que: “É uma pena que os livros de Harry Potter tenham acabado. Você pode fazer o mesmo tipo de coisa com outras literaturas, mas Harry Potter tem tantos aspectos positivos que é difícil encontrar algo tão rico. Teremos de manter nossos olhos abertos.”

Nenhum comentário:

Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

bolinhas bolinhas