Perfil

Sou Maria Cristina. Fiz bacharelado e Licenciatura em Ciências Sociais, na PUC-SP, onde também fiz minha especialização em Projetos Pedagógicos com o Uso das Novas Tecnologias e o mestrado em Educação: Currículo (linha de pesquisa Novas Tecnologias e Educação). Professora da SEESP e professora universitária. O blog só tem como objetivo ampliar as discussões em sala de aula.

quinta-feira, 28 de julho de 2011

Redes Alternativas: exposição bacana

A pesquisadora Maria Cristina Machado Freire, vice-diretora do Museu de Arte Contemporânea (MAC) da Universidade de São Paulo constatou que o mais importante acervo de obras de arte conceitual internacional no Brasil, se encontra naquela instituição. São obras de artistas europeus e no caso dos artistas do leste europeu, o acervo foi formado pela atuação do museu como um dos destinatários de uma rede de arte postal que artistas latino-americanos e europeus nos anos de 1960 à 1970, quando seus países enfrentavam regimes ditatoriais, especialmente de países como Tchecoslováquia, Hungria, Polônia, Iugoslávia e Alemanha Oriental.
A pesquisadora identificou os artistas que utilizavam o correio como um meio para furar o bloqueio da censura e da repressão de seus países.
Naquela época o MAC organizava exposições internacionais e nacionais informando por meio do correio, convidando artistas a participar de suas exposições, e eles enviavam seus trabalhos pelo correio, seja por solidariedade seja para participar de um sistema de troca de informações artísticas totalmente fora do mercado de arte, da mídia e dos centros artísticos hegemônicos.
Por esta razão MAC se tornou no período, o centralizador de obras de arte conceitual de artistas internacionais, em uma época em que a arte vivia um momento de redefinição já que além das chamadas "Belas Artes" (pintura, escultura, desenho e gravura), também as instalações, a fotografia e o próprio corpo em performance passaram a ser reconhecidos como arte.
A exposição Redes Alternativas, sob a curadoria da pesquisadora, que está em cartaz no MAC USP e apresenta 40 trabalhos destes artistas, que em alguma medida fizeram uso da fotografia como expressão metafórica de liberdade.
Período: aberta até 18 de dezembro no MAC USP, nas terças e quintas, das 10h às 20h, e às quartas, sextas, sábados, domingos e feriados, das 10h às 18h
Endereço: Rua da Praça do Relógio, nº 160, na Cidade Universitária, em São Paulo. A entrada é franca.
Informe-se em www.mac.usp.br

Nenhum comentário:

Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

bolinhas bolinhas