Perfil

Sou Maria Cristina. Fiz bacharelado e Licenciatura em Ciências Sociais, na PUC-SP, onde também fiz minha especialização em Projetos Pedagógicos com o Uso das Novas Tecnologias e o mestrado em Educação: Currículo (linha de pesquisa Novas Tecnologias e Educação). Professora da SEESP e professora universitária. O blog só tem como objetivo ampliar as discussões em sala de aula.

sábado, 13 de agosto de 2011

Mauricio Tragtenberg - delinquente, libertário. Mestre da Sociologia Brasileira


O professor Maurício Tragtenberg nasceu dia 14 de novembro de 1929 e nos deixou em 17 de novembro de 1998, ficamos mais pobres com seu desaparecimento. Considerado um dos mais importantes e inovadores intelectuais que tivemos, re-introduziu o pensamento libertário no meio universitário, importante especialmente para a Pedagogia, vigoroso estudioso do pensamento de Max Weber - não esqueço as aulas da professora Maura Pardini, na PUCSP. Era casado com a atriz Beatriz Tragtenberg e pai do compositor Lívio Tragtenberg, você pode ler detalhes de sua bela existência neste endereço http://pt.wikipedia.org/wiki/Maur%C3%ADcio_Tragtenberg.
Sua análise da realidade educacional brasileira é célebre. A respeito da universidade brasileira escreveu ("Sobre Educação, Política e Sindicalismo", Editora Cortez): "a política de 'panelas' acadêmicas de corredor universitário e a publicação a qualquer preço de um texto qualquer se constituem no metro para medir o sucesso universitário. Nesse universo não cabe uma simples pergunta: o conhecimento a quem e para que serve?".
Infelizmente, é pouco estudado. Quando entrei na PUC, em 1980, a gente via o professor Tragtenberg circulando com um cigarro pendurado no canto da boca. Nossos professores contavam admirados, e eu ouvia emocionada, a trajetória do mestre, que autodidata e garçon, fez curso de Madureza (exame dificílimo, que certificava quem não teve oportunidade de estudar) e se tornou um dos maiores nomes da Sociologia. Dos seus livros, o meu preferido é "Burocracia e Ideologia" - inclusive está aqui, na coluna do lado esquerdo, na lista dos meus livros preferidos - nele lemos as primeiras críticas à burocracia brasileira, inclusive à que devasta a escola.
Paulo Ghiraldelli Jr, filósofo e professor universitário, dá conta de que alguns professores e com certeza seus alunos, nunca ouviram falar de Maurício Tragtenberg, e que em alguns anos teremos uma geração inteira de alunos de Ciências Sociais que nunca leram o mestre ou o Francisco Weffort. Desculpe Prof. Paulo, mas dispenso FHC, afinal, ele mandou a gente esquecer tudo o que tinha escrito, e eu joguei tudo fora, como ele o recomendou.
Visite este sítio e veja o quanto o professor Tragtenberg era ácido, por isso chamado de "dinamite", "delinqüente" (eu adoro a trema, não aceito sua expulsão) http://ensaius.wordpress.com/2008/11/14/mauricio-tragtenberg-delinquencia-academica/
O blog http://2.bp.blogspot.com/_kOy7xkpibgY/SaP-K9lpUsI/AAAAAAAAACc/_jbDTc-Jr3c/s1600-h/blogtragtenberg.jpg
Leia o artigo da Scielo http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0101-73301999000100001&script=sci_arttext

Nenhum comentário:

Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

bolinhas bolinhas