Perfil

Meu nome é Maria Cristina. Fiz bacharelado e Licenciatura em Ciências Sociais, na PUC-SP, onde também fiz minha especialização em Projetos Pedagógicos com o Uso das Novas Tecnologias e o mestrado em Educação: Currículo (linha de pesquisa Novas Tecnologias e Educação). Sou professora da rede pública estadual paulista e Orientadora de Disciplina do curso de Pedagogia Semi-presencial UNESP/UNIVESP e UNILAGO.

domingo, 25 de maio de 2014

Meios de Comunicação de Massa

Prezados, essa postagem é para responder aos alunos que postaram dúvidas sobre os conceitos trabalhados este bimestre.
Meios de Comunicação de massa são todos os veículos de comunicação que atingem a um grande número de pessoas (massa),  o que só foi possível com a invenção da imprensa por Johann Gutemberg, por volta de 1450, na Alemanha. Gutemberg criou a tipografia - a partir da composição de caracteres (tipos) móveis prensados com tinta sobre o papel, permitindo que se duplicasse rapidamente a impressão.
Assim surgiram folhas de avisos (conhecidas como gazetas), panfletos, folhetos, os jornais e as revistas. Em meados de 1620 (século XVII) surgiram os corantos, publicações sobre notícias correntes.
O jornal passa a ser diário no século XVIII, em diversos países europeus e nos E.U.A., e eram muito censurados já que se temia a notícia divulgada fosse dominada por todos e que influenciasse a opinião pública. O que, é possível perceber quando uma emissora de TV como a Globo informa seus telespectadores sem apresentar todos os lados do fato ou sem ouvir os todos os envolvidos na questão de maneira igual (mais tempo para uma posição e menos tempo para a posição contrária, por exemplo).
No nosso país o primeiro jornal editado no Brasil, a Gazeta do Rio de Janeiro, dirigido por frei Tibúrcio José da Rocha, uma influência da vida da família real para cá. A Gazeta do Rio de Janeiro era distribuído duas vezes por semana. Não era grande coisa, tinha quatro páginas (rs).
Um dos mais antigos jornais do Brasil foi o Correio Braziliense, fundado, dirigido e redigido por Hipólito José da Costa, em Londres, três meses antes que a Gazeta. Seu fundador foi perseguido e seu jornal apreendido muitas vezes pelo governo português.
A partir do século XX, a imprensa deixa de ser artesanal e amadora e passa a ser uma grande empresa industrial. Nessa época surgem as revistas ilustradas.
Outro veículo de comunicação de massa é o rádio, que, no Brasil surgiu no dia sete de setembro de 1922, em comemoração ao Centenário da Independência e ainda hoje é o veículo de comunicação mais acessado, com programação de todo tipo, inclusive educativa.
Por exemplo, em 1923 o antropólogo Roquette Pinto fundou a Rádio Sociedade do Rio de Janeiro, com o objetivo de levar educação e cultura aos brasileiros - em 1936, Roquette Pinto entregou sua emissora para o governo (atualmente se chama Rádio MEC). 
Se em seus primórdios o rádio era um produto de elite logo se popularizou. Era um produto elitista por ser caro e apenas pessoas de alto poder aquisitivo podiam adquiri-lo. A programação não apresentava música popular e não havia publicidade - só em 1932 se deu a autorização para a publicidade. É nesse período que o rádio se torna mais popular devido ao barateamento do custo dos aparelhos.
Com o advento da televisão, esse meio de comunicação deixa de ser absoluto em algumas regiões. Produtores, cantores, comediantes e artistas em geral, são contratos pelas emissoras de TV que fazem "um radio com imagem, em seus primeiros anos", até que criem uma linguagem própria para esse veículo de comunicação.
A televisão surge nos anos 50 do século XX, em meio a muitas transformações provocadas pela velocidade imposta pela produção em massa e circulação rápida promovida pelos meios de transporte. A TV espelha essas mudanças e se constitui em um veículo de comunicação marcado velocidade e troca de imagens que seduziram o ser humano e o acostumou a essa linguagem acelerada e visual.
A partir dos anos 1980 a televisão se torna hegemônica (domina) e controla totalmente o mercado de informações e se sobrepõe a todos os outros meios, se consolidando como o sistema decisivo na sociedade - formando e deformando as opiniões.
Atualmente, temos também a Internet, que avança sobre a TV, principalmente pelo fato de que permite apresentar aquilo que a TV esconde, omite, favorecendo a construção de opiniões alternativas.
(Vejam ao lado o marcador "Cultura de Massa")

Nenhum comentário:

Ocorreu um erro neste gadget

Dicas

1) Profissões, ciências e artesAtlas de Anatomia Vegetal: atlasveg.ib.usp.br/focara 2) Dicionário de Astronomia e Áreas Afins: www.ceaal.al.org.br/astrodic 3) Dicionário de Aves : aves.ccg.pt 4) Dicionário de Economia: economiabr.net/dicionario 5) Dicionário do JMA (meio ambiente, de agricultura a zoonose: www.jornaldomeioambiente.com.br/dicionario_ambiente 6) Dicionário do Trabalho Vivo (trabalho, emprego e gestão da carreira profissional): www.cidade.usp.br/projetos/dicionario 7) Dicionário Interativo da Educação Brasileira: http://www.educabrasil.com.br/eb/dic/dicionario.asp 8) Dicionário Rossetti de Química: www.rossetti.eti.br/dicuser 9) Enciclopédia da Música Brasileira: www.uol.com.br/encmusical 10) Enciclopédia de Artes Visuais: www.itaucultural.org.br/AplicExternas/Enciclopedia/artesvisuais 11) Astronautas e astronomia: www.astronautix.com/spaceflt 12) Saúde infantil: www.kidshealth.org/kid 13) Enciclopédia de Humanidades (de História à Filosofia): http://www.perseus.tufts.edu/

bolinhas bolinhas