Perfil

Meu nome é Maria Cristina. Fiz bacharelado e Licenciatura em Ciências Sociais, na PUC-SP, onde também fiz minha especialização em Projetos Pedagógicos com o Uso das Novas Tecnologias e o mestrado em Educação: Currículo (linha de pesquisa Novas Tecnologias e Educação). Sou professora da rede pública estadual paulista e Orientadora de Disciplina do curso de Pedagogia Semi-presencial UNESP/UNIVESP e UNILAGO.

quinta-feira, 30 de junho de 2011

Uma dose de Antonio Gramsci

Antonio Gramsci nasceu em 22 de janeiro 1891 na Sardenha, Itália e teve uma existência dramática: uma deficiência física prejudicou seu desenvolvimento, a prisão do pai por perseguições políticas o obrigou a trabalhar aos doze anos impedindo-o de ingressar no ginasial (equivalente ao Ensino Fundamental II), voltou à escola dois anos depois e foi bolsista na Universidade de Turim, onde cursou Letras e entrou em contato com a filosofia filósofos neohegelianos (idealistas) opositores ao positivismo presente nos meios intelectuais italianos - Benedetto Croce e Giovanni Gentile.
Gramsci abandonou a Universidade e foi ser redator do jornal socialista O Grito do Povo. Escrevia, ainda, para Avanti!, órgão oficial do PSI (Partido Socialista Italiano), chegando a ser dirigente do partido durante a insurreição de 1917, quando muitos correligionários foram presos - Ele mesmo também acabou preso. Foi um dos fundadores do jornal de influência da revolução russa de 1917 L´Ordine Nuovo, em 1919, época em que publica o artigo “Democracia Operaria” - neste trabalho afirma que o meio de se conquistar a democracia operária eram as comissões de fábricas, eleitas diretamente pelo conjunto dos trabalhadores, sindicalizados ou não, e de haver representação de todas as profissões. Tais comissões deram origem aos Conselhos de Fábricas. Observem que o movimento operário brasileiro, nos anos de 1970 particularmente, comunga destes ideais.
Gramsci influenciou muito o pensamento das Ciências Sociais e muitas das categorias de análise utilizadas pela Ciência Política foram criadas por ele, como "Bloco Histórico" e "Sociedade Civil". Preocupado com o fascismo italiano, do qual foi vítima, chegou à conclusão de que este possuía uma base de massa e apoiado pela pequena burguesia urbana que se ressentia do pouco espaço econômico e político que o capitalismo monopolista na Itália lhe permitia. Para Gramsci, o fascismo negava a legalidade burguesa e representava a junção das massas pequeno-burguesas, de forte sentimento antioperário e antisocialista – com os reacionários ligados aos latifundiários no campo contrários à reforma agrária no Sul.
Sua militância o levou à Moscou em 1922, quando participou da plenária da Executiva da Internacional Comunista. Naquela cidade adoeceu com o volume de trabalho e esteve internado num sanatório soviético e conheceu a esposa, Júlia Schucht. Durante este período teve a prisão decretada na Itália, por isso não retornou ao seu país. Em vez disso foi para Viena. Eleito deputado, obteve imunidades parlamentares mas seu mandato foi cassado pelo primeiro-ministro italiano Benito Mussolini.
Em 08 de novembro de 1926 Gramsci e outros deputados comunistas foram presos em suas próprias casas. Na prisão, entre 1929 à 1935, escreveu a obra "Cadernos do Cárcere" - 33 cadernos escolares com temas como lingüística, critica literária, história italiana, papel dos intelectuais e teoria política.
A prisão debilitou severamente seu estado de saúde chegou a perder 10 quilos e quase todos os dentes, sofria de fortes dores de cabeça, insônia e falta de apetite, tuberculose, arteriosclerose, hipertensão, gota. Em 07 de marco de 1933 após desmaiar na cela, foi transferido para uma clínica sob vigîlância de cerca de 20 guardas, ainda que estivesse moribundo. Em 25 de abril de 1937, foi pensa a sua pena de prisão, mas depois de dois vem a falecer de derrame cerebral, ainda jovem, aos 46 anos de idade.
Recomendo a leitura de "Cadernos do Cárcere" e as belas cartas que escreveu ao filho Décio na obra "Cartas do Cárcere", bem como "Os inteletuais e a organização da cultura", que do conjunto de sua obra são os meus preferidos.

2 comentários:

Anônimo disse...

Professora,esses textos foram a senhora que escreveu de acordo com a História dessas pessoas? Ou a senhora pegou de outro site? De qualquer forma,queria dizer que esse blog ajuda muito. Obrigada

Maria Cristina disse...

olá! primeiro peço desculpas pela demora em responder. ando atribulada e o blog ficou um pouco esquecido. O texto tem coisas que eu pesquisei ao longo desses trinta anos de docência. Gramsci é uma paixão para mim.

Ocorreu um erro neste gadget

Dicas

1) Profissões, ciências e artesAtlas de Anatomia Vegetal: atlasveg.ib.usp.br/focara 2) Dicionário de Astronomia e Áreas Afins: www.ceaal.al.org.br/astrodic 3) Dicionário de Aves : aves.ccg.pt 4) Dicionário de Economia: economiabr.net/dicionario 5) Dicionário do JMA (meio ambiente, de agricultura a zoonose: www.jornaldomeioambiente.com.br/dicionario_ambiente 6) Dicionário do Trabalho Vivo (trabalho, emprego e gestão da carreira profissional): www.cidade.usp.br/projetos/dicionario 7) Dicionário Interativo da Educação Brasileira: http://www.educabrasil.com.br/eb/dic/dicionario.asp 8) Dicionário Rossetti de Química: www.rossetti.eti.br/dicuser 9) Enciclopédia da Música Brasileira: www.uol.com.br/encmusical 10) Enciclopédia de Artes Visuais: www.itaucultural.org.br/AplicExternas/Enciclopedia/artesvisuais 11) Astronautas e astronomia: www.astronautix.com/spaceflt 12) Saúde infantil: www.kidshealth.org/kid 13) Enciclopédia de Humanidades (de História à Filosofia): http://www.perseus.tufts.edu/

bolinhas bolinhas